Como saber se o cliente tem o nome sujo ?


saber se o cliente tem o nome sujo
Compartilhe com os amigosShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
 

Como saber se o cliente tem o nome sujo ?

Saber se o cliente tem o nome sujo – O número de inadimplentes cresce a cada dia no Brasil. Com o aumento do índice de desemprego, o atual cenário político e a crise econômica, temos algumas das principais causas de uma realidade financeira tão complexa no país.

Entretanto, isso não pode ser motivo para que as empresas parem de vender. Afinal, com ou sem crise, as pessoas ainda têm necessidades básicas que precisam ser supridas, como vestir-se, comer, estudar e morar, por exemplo.

Então como o empreendedor deve agir diante de uma situação tão paradoxal? A resposta é simples: ele precisa ser seletivo e cuidadoso na hora de conceder crédito aos consumidores.

Por isso, no artigo de hoje, mostraremos como saber se o cliente tem o nome sujo. Confira agora!

 

consulta spc

como fazer consulta spc e serasa

O que significa ter o nome sujo?

Quando uma pessoa decide fazer uma compra parcelada, pedir crédito, alugar um imóvel ou realizar determinadas transações financeiras, o procedimento de praxe é realizar uma consulta ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e à Serasa para saber a situação atual.

Caso essa pessoa tenha feito alguma dívida que deixou de ser paga por qualquer circunstância que afete o seu orçamento, ou caso tenha pago com um cheque sem fundos no ato da compra, certamente, seu nome constará em um cadastro de CPFs.

Empresas credenciadas podem atualizar esse cadastro, que será consultado por estabelecimentos comerciais, bancos e outros empreendimentos a qualquer momento.

Basicamente, o termo “nome sujo” significa ter o nome incluso nesses cadastros que afirmam que, pelo menos no momento, o cliente em questão não é um bom pagador.

Quais os riscos de vender para alguém que tem o nome sujo?

Nome sujo não é sinônimo de que o cliente é uma má pessoa, mas, como empreendedor, você deve proteger os interesses de sua empresa, não é verdade?

Você até pode vender para um cliente com nome sujo, mas o pagamento precisa ser realizado à vista, pois conceder crédito a alguém que já está com dificuldades para pagar outras dívidas é o mesmo que apostar em uma causa perdida.

Além de não receber, comprometer seu faturamento e desfalcar o fluxo de caixa, você ainda precisa arcar com os custos do produto ou serviço que vendeu.

Como saber se o cliente tem o nome sujo?

iRecarga

Conhecido por ser um serviço de recarga de créditos para celulares que lojistas podem disponibilizar em seus estabelecimentos comerciais, o iRecarga também oferece o serviço de consultas de CPFs e CNPJs inclusos no cadastro do SPC Brasil.

Não há mensalidade ou taxa adicional pelo serviço e o lojista pode usá-lo à vontade para saber se algum cliente tem o nome sujo.

Serasa

Existem duas formas de consultar o CPF do cliente pela Serasa: presencialmente, nas agências da empresa, ou pela internet por meio de um software.

A consulta presencial é gratuita, basta comparecer a uma agência da Serasa com o CPF e um documento com foto do cliente.

Pela internet, basta utilizar o software “Me Proteja” credenciado pela Serasa. A mensalidade custa em torno de R$ 19,90 por mês no plano mensal e R$ 10,00 no plano anual.

SPC Brasil

Para saber se o cliente tem o nome sujo pelo SPC Brasil é preciso comparecer presencialmente a um balcão de atendimento da unidade mais próxima, munido com o CPF original e um documento com foto. A consulta fornece um extrato com os dados das empresas credoras e os valores das dívidas do cliente.

Essa opção não é interessante para o lojista, já que ele precisa se locomover até uma unidade física do SPC com o documento original do cliente.

Caso queira fazer a consulta pela internet, será necessário pagar cerca de R$ 6,00 por consulta no site do SPC.

Considerando que atualmente a consulta para saber se o cliente tem o nome sujo é tão simples e acessível, não vale a pena colocar a situação financeira da empresa em risco e conceder crédito sem antes certificar-se de que ele poderá arcar com a dívida.

O artigo de hoje foi útil para sua empresa? Então compartilhe com seus amigos e parentes no Twitter e no Facebook!

 

recarga

recarga

Compartilhe com os amigosShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Deixe uma resposta